quarta-feira, outubro 06, 2010

LITERARUTA CATARINENSE - ALCIDES BUSS

- Nasceu no dia 14/08/1948 em Salete (SC) filho Érico Buss e Verônica Loch Buss.

- Em 1949 a família transfere-se para Trombudo Central.

- Em 1955 muda-se para Medianeira PR.

- Em 1961 Alcides Buss ingressa no seminário Nossa Senhora de Fátima onde se destacava como desenhista e goleiro.

- Em 1963 deixa o seminário e passa morar em Cascavel (PR), onde conclui o ginásio.
 -1967 vai para Joinville, com interesse de continuar os estudos, e trabalhava como barmen, bancário e professor.um ano após cumpre serviço militar. E no ano seguinte ingressa na faculdade de filosofia, ciências e letras em Joinville, atua no magistério e no jornalismo edita o jornal “ O Acadêmico”, também colabora com o “Jornal de Letras”, RJ.

- Em 1970 publica o livro Circulo Quadrado.

- 1971 publica o livro o Bolso e  a Vida? Calcificasse em primeiro lugar no festival catarinense de poesia universitária (UFSC) como premio foi a publicação do livro.

- Um ano após realiza exposições dos poemas experimentais em plástico transparentes.

- Em 1973 casa-se com Denise Nascimento, passa a morar em Florianópolis, ingressa no curso de pós graduação em literatura brasileira da UFSC.





A convite do prefeito de Joinville retorna a cidade, onde dirige à divisão de cultura a prefeitura municipal, também leciona literatura brasileira e teoria da literatura na Fundação Universitária da região, fica conhecido por todo o Brasil.

-Em 1975 participa da V Coletiva de artista de Joinville com “Garrafas Poéticas”, coordena o segundo encontro de autores catarinenses, onde ocorreu a criação da associação catarinense de escritores.

- 1976 edita com outros autores a revista “Cordão”  e publica o livro  “Ahsim”. Um ano após participa da Expoesia III. Depois em 1978 lança o projeto Alçapão de difusão da poesia.

-Em 1980 volta a Florianópolis onde cria na UFSC uma das primeiras oficinas literárias, no Brasil. Promoveu a renovação literária abrindo espaço as outras artes como o cinema e participou da exposição “ Poucos e Raros” em (SP), também publica o livro O Homem e a Mulher.

-Em 1982 participa da primeira Bienal Nestlé da literatura brasileira e publica o livro “O Homem sem o Homem”.

- Em 1983 publica a antologia do varal literário.

- Em 1984 participa da amostra visual da poesia brasileira e é nomeado para o conselho de ensino de pesquisa e extensão da UFSC, recebe o premio Magister do Sindicato de Professor de SC.

- Em 1985 cria o movimento de ação do livro, publica o livro “pessoa que Finge a Dor”. Participa no México de uma exposição.

- 1986 para o conselho editorial da editora da UFSC onde coordena a coleção “Ipsis Litteris”. Participa no México da primeira Bienal  Internacional da Poesia Visual e Experimental.

- 1987 publica o livro “Segunda Pessoa”, lança no seminário nacional” Brasil a Cultura em Questão” (SP). O manifesto de defesa do livro e da literatura.







- Em 1988 publica transação, assume a chefia do Departamento de Língua e Literatura Vernáculas (UFSC). Um ano após publica o livro O Professor é um Poeta, também publica sua primeira experiência em literatura infantil com a poesia do ABC.

- Em 1990 recebe o premio revelação da Associação Paulista de Críticos de Arte. Três anos após eleito presidente da associação brasileira das editoras universitárias com mandato de dois anos. Empenhou-se na instituição garantindo a participação das edições universitárias com eventos nacionais e internacionais.




   O maior objetivo de Alcides foi a formação de uma rede nacional para distribuição e comercialização das edições acadêmicos. Através de Alcides Buss parte de uma tiragem é destinada a livre circulação. Também presidiu a união brasileira de escritores de SC. Foi finalista em 2000 com o premio Jabuti 2000, com o livro Cinza de Fênix, e também publicou o livro infantil Pomar de Palavras. No ano de 2002, pala editora da UFSC edita o livro Contemplação de Amor.
Seu livro mais recente é Saber não Saber, lançado no dia 17/10/2009, na livraria Pomerana em Pomerode. Atualmente Alcides Buss é diretor de Difusão Editorial Brasileira de Editoras de Literatura de Florianópolis.     




 
                                                                 O poeta e o poema
O poema reluta.
Quer ser – e não quer.
Escolhe o poeta;
escolhe o momento.
Recua. No limbo
insondável, pondera.
Retorna mais tarde,
já outro – nem sempre.
Com força, derrama
o sentido. Se vire
o poeta.

Alcides Buss
Cinza de Fênix & três elegias


Alunas: Débora e Sabrina 

 

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | coupon codes